ATP anuncia renovação dos Challengers, com chaves e premiações maiores

Torneios de nível Future vão deixar de ter pontuação válida para o ranking e, com isso, entidade planeja concentrar e diminuir número de profissionais

Por GloboEsporte.com, Rio de Janeiro

O ano de 2019 promete ser de grande renovação para o futuro do tênis profissional. A ATP anunciou, nesta segunda-feira, uma grande mudança no circuito, em que os torneios de nível Challenger passarão a ter premiações maiores e concentrar mais jogadores, praticamente relegando os Futures (terceiro escalão) a um nível amador e de preparação para os profissionais. As principais alterações serão o tamanho das chaves, de 32 para 48 atletas, e a mudança dos níveis de pontuação para 70, 80, 95, 110 e 125, mantendo cinco diferentes tipos de torneios, mas passando a ser chamados desta forma, como acontece com os ATPs.

Em nível ATP, não haverá alteração, se mantendo os 250, 500, Masters 1000 e Grand Slams. A ideia da Federação Internacional de Tênis (ITF) é que o número de profissionais diminua drasticamente, de 14.000 para 1.500 (cerca de 750 homens e 750 mulheres). Isso porque, na visão da entidade, a grande maioria dos tenistas hoje não é realmente profissional e apenas incha o circuito, gerando mais custos. A partir de 2020, os torneios de nível Future não valerão mais pontos no ranking.

utra mudança será em relação às datas dos torneios Challenger. Hoje, os qualifyings são disputados sábado e domingo, o que gera conflito de datas com outros torneios. A partir de 2019, o torneio completo - do qualifying à final - será concentrado de segunda-feira a domingo, o que deve melhorar as condições de viagens dos atletas entre os torneios.

- Essas são mudanças significativas que vão levar a uma real melhoria do ATP Challenger Tour, principalmente porque queremos dar mais oportunidades de ganho aos jogadores em um nível de entrada do tênis profissional. A grande prioridade para nós é garantir que o jogador vai ter um caminho saudável e também dar mais chances de viabilizar a carreira no tênis profissional masculino - disse o presidente da ATP, Chris Kermode.

A partir de 2019, todo torneio de nível Challenger será obrigado a oferecer hospedagem aos tenistas participantes da chave principal. Além disso, os serviços médicos, de fisioterapeutas e as instalações serão melhorados, com aumento também do número de quadras de treino. Todos os jogos - exceto os da chave qualifying - terão transmissão ao vivo através de serviço de streaming, pela internet. Ao todo, haverá um adicional de cerca de US$ 1 milhão em premiações, com os principais eventos oferecendo mais de US$ 160 mil.

Na atual temporada, o Brasil deve receber apenas um torneio de nível Challenger, em Campinas, a partir do dia 1 de outubro. Além disso, Rio de Janeiro e São Paulo ainda receberam ATPs 500 e 250 em fevereiro - o Rio Open e o Brasil Open.

Mais notícias...