SEDIMENTAÇÃO DOS GOLPES


Como oportunidade de melhoria do jogo de tênis propriamente dito, a SEDIMENTAÇÃO DOS GOLPES já estruturados mecanicamente, encerram grande relevância no contexto da otimização da performance técnica do jogador, e deve obedecer etapas criteriosas no que concerne os aspectos didático-pedagógicos.



Numa sequência que pretende a lógica, declino os vários pontos à serem contemplados na busca do proposto :-

REGULARIDADE

A regularidade de um golpe vem com a insistência em que é praticado.
É muito importante que o tenista os repita de forma programada. Não basta jogar sets. Aliás, estes acabam muitas vezes por provocar a incidência de defeitos mecânicos, já que, companheiro da disputa é o desejo de vencer e o de proporcionar um bom jogo ao adversário.
O treino dirigido é o que há de melhor em termos de resultados para a aquisição da regularidade, notadamente, dos golpes de base.
Assim, é indicado o treino individualizado de cada golpe, com uma meta estipulada, podendo a mesma estar voltada ao número de bolas devolvidas, aumentando o grau de dificuldade paulatinamente, com a inserção de direcionamento e força na execução dos mesmos.
O objetivo final, maiores índices de acertos, deve ser sistematicamente controlado pelo profissional responsável, através de uma planilha estatística, que lhe dará parâmetros para a formatação do próximo treino, notadamente, no que tange à volume, quantidade e especificidade.
A título de ilustração, bons ingredientes de auxílio para os necessários exercícios de repetição são a utilização de materiais como: alvos, fitas coloridas para aumento da altura da rede, e outros que contribuam para a motivação do atleta.

DIREÇÃO

O treino de direcionamento dos golpes pode acontecer com repetitiva troca de bolas em cruzada ou paralela, como pode também se desenvolver com o lançamento por parte do treinador, destinando os memos à alvos pré-determinados.
O profissional - Professor de Tênis - tem como importante missão, ressaltar os conceitos técnicos que auxiliem seu atleta na conquista de sua meta, como por exemplo, demonstrar que a antecipação do impacto provoca a obtenção de bolas cruzadas e que, um leve atraso, proporciona a obtenção de bolas paralelas.

PROFUNDIDADE

No desenvolvimento do processo de sedimentação, o profissional deve demonstrar ao seu atleta, através de recursos visuais (execução efetiva ou com auxílio de imagens de vídeo), a necessidade de se acentuar a terminação do movimento para se atingir maior profundidade dos golpes de base, sem negligenciar, no entanto, o aproveitamento das alavancas de força, como giro de ombros e quadris, flexão e extensão dos joelhos e cotovelos, culminando com a transferência do peso do corpo para frente.
A delimitação da quadra, favorece em grande monta o aspecto da visualização, ferramenta imprescendível à estruturação de bons programas de treinamento .

VELOCIDADE

Após a administração de treinos que vislumbrem a regularidade, direcionamento e profundidade, é o momento do profissional inserir tarefas que porporcionaem maior velocidade aos golpes. Para tanto, pode-se utilizar os mesmos exercícios acentuando a transferência do peso do corpo e a aceleração no movimento - da preparação (backswing) à terminação (follow through) - .
Uma preparação antecipada, cria a possibilidade de um momento maior de relaxamento muscular que, somado às diversas alavancas propulsoras de força, como flexão de joelhos e cotovelo, alem do giro de quadril e ombros, promove um golpe com muito mais velocidade.

EFEITOS

Como último tópico a ser desenvolvido, os efeitos acontecem a partir da trajetória que se impõe à raquete, e à maneira como esta impacta a bola. De baixo para cima se obtém o Top Spin, e de cima para baixo, o Back Spin ou Slice, e ainda, de dentro par fora, o Sidespin, não muito utilizado.

A presente monografia, não pretende aprofundar sobre os vários meios de utilização dos diversos efeitos, e sim, o de intensificar o conhecimento de como treiná-los. Para tanto, a indicação são exercícios em suas infindáveis variações, com a inserção do controle propriamente dito, considerando-se sempre a maior especificidade do jogo.
Ora, quanto mais próximo das situações reais de jogo melhor aproveitamento terão os exercícios propostos. Pouca eficiência se denota dos treinamentos, por exemplo, com um infindável número de bolas, se estivermos treinamento um juvenil que estatisticamente decide o ponto em poucos lances. Da mesma forma, poucos resultados teremos se o treino para um tenista veterano for baseado em exercícios de saque-voleio.

É de suma importância que a programação de um treinamento, obedeça à critérios técnicos, táticos, físicos e psicológicos englobados num contexto didático-pedagógico que entenda por ponto crucial, o objetivo que se pretende atingir com o atleta.

Posso concluir, desta forma, que a sedimentação dos golpes já estruturados demandam muita repetição, as quais, se programadas com criatividade podem produzir momentos prazerosos ao tenista e ao seu treinador.


Márcia Cury
marciacury@matchpoint.com.br

Técnica de Tênis
CREF - 24.089-P/SP
Trabalho monográfico
Módulo 1 – CREF4/SP
Área de atuação - Tênis de Campo

Copyright © 2004 - Site Match Point - Todos os Direitos Reservados